Hoje vou falar de um tópico que me acompanha no dia a dia: o contato com diferentes culturas e crescimento pessoal. Muitas pessoas me perguntam o que mudou ou atenuou em mim depois de começar a viajar, e eu sempre respondo: quase tudo. Eu me sinto mais confiante e aberta, mais atenta e preocupada com o que acontece no mundo, mais tolerante e resiliente. Enfim, são tantos “tapas” e dificuldades no Brasil e aqui fora também, que a nossa perspectiva muda.

Eu e meu esposo somos nômades digitais e trabalhamos como qualquer outra pessoa, a diferença está em conseguirmos efetuar nossas funções 100% online. Sendo assim, uma boa internet e silencio é tudo que precisamos (é claro, uma boa cadeira e mesa é ótimo também). Nossa casa é onde estamos no momento, pois viajamos a cada 2 ou 3 meses para um novo destino.

Primeiramente, vamos aqui relembrar, que alguns anos atrás quase ninguém tinha o privilégio no Brasil de viajar a lazer ou para aprender mais sobre a história e cultura de outros países, como acontece atualmente. Os custos eram bem mais altos e tornava assim inviável para muitas pessoas. Os indivíduos que usufruíam deste benefício eram geralmente políticos, cientistas, empresários e outras pessoas da high society.

A realidade hoje é bem diferente, pois com as quedas dos preços das passagens e acomodações acessíveis, qualquer pessoa com um cartão de crédito, tempo, curiosidade, disposição e um pouco de dinheiro em mãos, pode atravessar o Oceano Atlântico em busca de novos ares, ou até em busca de si mesmo.

Minha família na Turquia. Cunhado Cem, Jasmin minha sobrinha e Pati minha irmã. Viajar também me deixou mais próximo para acompanhar o crescimento da pequena e aprender ainda mais sobre a cultura e história turca que é incrível!

Levando isso em consideração, precisamos entender o quanto somos privilegiados com as mudanças no mundo e como tudo se tornou relativamente mais acessível a população.

Sou extremamente grata pelas oportunidades e sonhos realizados com muito esforço, trabalho e “tapas na cara”, mas que valeram a pena cada momento, pois é geralmente nas dificuldades que o aprendizado é maior. No meu coração, desejo que você também realize os seus sonhos e seja imensamente feliz, já que todos somos merecedores da felicidade.

Então, porque viajar é necessário para meu crescimento pessoal e pode ser para o seu também? O que mudou na minha vida nos últimos 9 anos morando no exterior em diferentes cidades e países, sendo que 23 deles morei na mesma cidade: Goiânia, no Brasil?

1.Minha tolerância e capacidade de entender o que as pessoas pensam se desenvolveu ainda mais

Por conviver com pessoas de culturas tão diferentes, comecei a perceber que não há somente uma verdade na vida para tudo. Não há uma forma de se comportar, não há somente uma forma de respeitar ou amar alguém, não há somente uma ou duas religiões no mundo, não há só uma opção de cuidado e consideração, não existe somente eu e sim nós, não existe a melhor comida, cultura, o melhor país ou tradição.

O que existe são apenas seres humanos iguais e diferentes em muitos aspectos, com uns mais iguais que os outros, como diria a legendária banda “Engenheiros do Hawaii.” Alguns com crenças tão distintas que vão intrigar a sua curiosidade: “como esta pessoa acredita nisso ou segue esta tradição?”. Outros nem tão diferentes assim.

crescimento pessoal

2. Aprendi a respeitar e ficar mais atenta a história de cada lugar e entender certos sentimentos entre culturas sem antes julgar.

Algo que me chamou atenção no começo da minha vida na Europa é o nacionalismo, ou as “brigas” entre nações. Muitos países menores que cidades brasileiras odiavam os seus vizinhos, pessoas que literalmente não se davam bem por uma questão de nacionalidade e, ocasionalmente, ouvia comentários racistas que iam muito mais além da cor da pele, situação social ou gênero.

Nunca tinha percebido isso antes, ou às vezes a minha mente brasileira e sagitariana pensava que nada era tão sério quanto parecia, por isso fiquei um pouco chocada ao perceber que o odiar era real e definido por uma questão geográfica, pois um dia aconteceu algo sério e outras vezes nem tanto. Pode ter sido por uma guerra, uma discussão entre líderes, uma invasão do país, uma relação diplomática mal resolvida, um roubou a terra do outro, países que eram juntos uma só nação e se separaram e etc…

Isso foi como um tapa na cara de falta de conhecimento histórico. Na minha mente inocente (ou ignorante eu posso dizer), era como se fosse uma sensação de fazer barulho para incomodar meu vizinho, bater na porta sem avisar e me intrometer na vida alheia, sem que ninguém ao menos pedisse a minha opinião. Com o tempo, entendi ser bem mais sério que eu poderia imaginar e como nunca havia passado por uma situação semelhante antes, por isso fiquei pensativa. É claro, morando em Goiânia grande parte da minha vida, eu tive pouco contato com estrangeiros e nunca havia saído do país antes. No máximo, vivenciei as brincadeiras sobre a Argentina e Brasil em relação ao futebol.

crescimento pessoal
Miljana, minha amiga sérvia. Ela me contou que quando tinha 8 anos, há 20 anos atrás, ficou traumatizada por ter que se esconder no porão por causa das bombas em Belgrado na Sérvia, em uma guerra com Kosovo. Assunto complicado e claramente ainda visível nos rostos das pessoas e na cidade de Belgrado que visitei em 2018.

3. Aprendi a cuidar mais de mim mesma.

Isso pode parecer clichê, mas viajar me fez abrir os olhos para o que eu negligenciava em mim mesmo. Não foi algo que percebi quando sai do Brasil inicialmente, e sim depois de alguns anos na estrada.

Minha saúde estava jogada de lado: não dormia bem, a mente funcionando o tempo todo, não fazia exercício, a preocupação com a família no Brasil diante de problemas, excesso de trabalho, as questões financeiras…tá, eu sei que comparando com a vida de algumas pessoas eu nem tenho o direito de dizer isso pois estou realizando meu sonho no fim das contas, mas acredite, negligenciar a mim mesmo quase me fez perder tudo isso.

Por isso mesmo, viajar me fez entender que eu amo esse estilo de vida onde me sinto livre, viva, cheia de esperanças e muito feliz de conhecer pessoas de culturas diferentes e aprender com eles. Se eu quero continuar fazendo o que amo e também inspirar pessoas a descobrirem o melhor de si mesmo, preciso cuidar da minha saúde e priorizar tudo que me faz bem.

Um dia horrível que passei muito mal com problemas no coração em Kuala Lumpur, na Malásia. Demorei a descobrir o que era e graças a Deus, está tudo certo hoje em dia.

4. Aprendi que viajar expande meu network e isso é importante na vida.

Networking é uma palavra inglesa relacionada as pessoas que você conhece. Não é todo mundo do seu network que será um amigo confidente, mas muitos serão conhecidos importantes na sua vida e possivelmente você será na vida de alguém.

É muito gratificante conhecer pessoas de várias cidades do mundo, tanto os moradores locais e também viajantes livres, sejam eles experientes ou não. Tem muita gente interessante e bacana no planeta, basta abrirmos nossos corações. Às vezes nos fechamos e perdemos oportunidades de grandes trocas, contatos e aprendizados, pois as pessoas que valem a pena escutar estão sim em todos os lugares, mas o movimento físico de lugar gera uma maior possibilidade de energia de conexão.

O que quero dizer com isso é que se frequentarmos sempre os mesmos lugares, pensamos sempre o mesmo ou vamos aos mesmos eventos na mesma cidade, a chance de conhecer seres humanos cativantes e relevantes é reduzida. Você sem perceber se fecha ao novo por pensar que as pessoas são muito parecidas e não precisa investir tempo em amizades, ou, porque você realmente já conhece a todos na sua rotina e não há muito interesse.

Diferentes mentes podem te trazer ideias distintas e reflectivas ou inúteis, aumentar a sua criatividade, conhecimento e a capacidade de lidar com pessoas, te conectar com outros dentro do networking para um melhor trabalho, atividade ou até relacionamento. Isso tudo influencia no seu crescimento pessoal.

Amigos lindos que fizemos na Irlanda, Liss e Marc.

5. A humildade em admitir a eterna sensação de “só sei que nada sei “.

Aprender é um dos meus hobbies mais prazerosos. Adoro adquirir conhecimento sobre vários temas pois sou interessada em praticamente tudo no mundo, exceto carros que eu me lembre agora. É, tinha que ter ao menos um assunto entediante! (risos).

Sempre quando tenho momentos livres invisto no meu crescimento pessoal, em captar tudo ao meu redor. Estudo por horas vários temas aleatórios incluindo história, cultura e língua de todos os países que visito. Pensando bem, não posso estranhar o fato de ter tido um “burn out” 2 anos atrás, porque com tanta informação no cérebro e outros problemas, já era de imaginar que isso aconteceria. Gratidão Deus e o universo por me sentir recuperada, porque não foi fácil.

Hoje posso rir de tudo isso, mas como não ser interessada nas variadas vertentes deste mundo maravilhoso? Uma natureza perfeita, pessoas incríveis e, ao mesmo tempo, desafiantes e complexas; culturas extremamente opostas, animais fofos e histórias inacreditáveis? Alguém passa a fórmula aí? Por isso, quanto mais eu estudo sobre os países e outros temas, sinto que, na verdade não sei é de nada. Cada livro que leio, vídeo que assisto e pessoa nova que conheço, traz mais aprendizados, hábitos e crenças diferentes. Algumas cidades que moro tem a sua história contada em 3 formas distintas no mínimo, além da cultura própria de cada região.

Quem aqui se confunde com os períodos históricos e no fim das contas não sabe que civilização veio primeiro ou se um acontecimento gerou outro e assim vai? Sou eu!

Bela Zurique no verão, Suíça

No fim das contas o importante é viajar e viver tudo isso! Seja da maneira que puder, do tempo que tiver disponível e da forma como estiver aberto a captar os aprendizados. O crescimento pessoal é um caminho diferente para todos e viajar pode ser realmente muito útil neste processo. Clique aqui para reservar o hotel da sua próxima viagem.

Esqueci de alguma coisa importante? O que você achou? Neste outro texto falo sobre propósito de vida. Clique para ler!

Deixe aí nos comentários. Será um prazer ler a sua opinião! Beijinhos

Thais Guimarães

2 Replies to “Por que viajar é necessário para seu crescimento pessoal?”

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *